Bandeira vermelha deve sofrer novo reajuste em setembro e voltar a aumentar a conta de luz

Atualizado: 6 de out. de 2021


O agravamento da crise hídrica deve fazer com que o patamar 2 da bandeira tarifária vermelha da conta de luz volte a subir já a partir de setembro.


A decisão será tomada na próxima terça-feira, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Especialistas a par das discussões afirmam que o reajuste pode levar o atual patamar 2 de R$ 9,49 por kw/h consumido para R$ 11 ou até R$ 15 – um reajuste de mais de 50% neste adicional.

Em agosto, a opção da Aneel foi não reajustar o valor, mesmo com defasagem na conta das distribuidoras.


O reajuste dos valores vem sendo mais frequente porque, com a falta de chuvas e diminuição nos reservatórios das hidrelétricas, o sistema elétrico precisa acionar termelétricas, uma energia mais cara.


Neste momento, segundo especialistas no setor, a conta já está negativa para as distribuidoras, que precisam comprar a energia mais cara para manter o abastecimento.

Essa tarifa atinge os consumidores cativos – população em geral e pequenos negócios. Os consumidores do mercado livre, como indústria, grandes negócios, shopping centers ou hospitais não fazem parte de quem paga este custo.


A demora do governo em alertar a população sobre a gravidade do momento e para reagir à crise hídrica, tomando medidas severas para economia de energia, relembra a perda de oportunidade que o país teve no início da pandemia da Covid-19.

Fonte: Globo.com

Torun

26/08/2021 11h31