Beneficiários do INSS têm mais tempo para pagar o Empréstimo Consignado!

Atualizado: 4 de mai. de 2021




O prazo estendido tem sido bastante utilizado no momento, mas também exige planejamento. Entenda!



Tempo para pagar o empréstimo consignado agora é maior

Qual é o novo prazo de pagamento do Consignado INSS?

Desde março dessse ano, o prazo para pagamento quitação do contrato do empréstimo passou de 72 para 84 meses.



Na prática, os segurados que optam por essa modalidade têm mais tempo para pagar o empréstimo consignado. Portanto, esse é o novo prazo máximo para encerramento da dívida.


A condição do prazo, no entanto, em nada alterou a forma com que o pagamento é realizado. Os descontos seguem sendo feitos direto na aposentadoria ou pensão, todos os meses.


Para evitar o endividamento, ou seja, que os Aposentados e Pensionistas assumam dívidas maiores existe um limitador. A margem consignável é o que impede que os descontos automáticos ultrapassem o que é definido em lei.


Atualmente, esse valor é de 35%, calculados sobre o benefício previdenciário líquido. Do total, 30% são utilizados para empréstimos e 5% para as despesas do cartão de crédito consignado.


O Governo estuda no momento a ampliação do aumento da margem consignável, como forma de evitar que os beneficiários contraiam dívidas mais caras.


Tempo para pagar o empréstimo consignado x taxas de juros


Uma importante relação a ser feita ao solicitar um empréstimo – e independente do tipo – é a relação prazo e taxas de juros.


No geral, quanto maior o prazo, maior a taxa de juros cobrada, afinal o tempo para que o banco receba o valor emprestado também será maior. Em outras palavras, o risco de não receber também, por isso, algumas linhas de crédito pessoal têm taxas de juros maiores associados à inadimplência.


No caso do consignado, o teto da taxas de juros é determinado por lei. Isso quer dizer que existe um valor máximo que os bancos podem cobrar.


Esse valor também foi reduzido neste ano, sendo fixado em 1,80% ao mês – em qualquer um dos prazos escolhidos para o pagamento. Se o número de parcelas for menor, há chances da taxas de juros ser menor também. Por outro lado, quem opta por pagar em mais prestações, pode ter a incidência de taxas de juros mais elevadas.



Um dos pontos que fazem que o empréstimo consignado se destaque, neste sentido, é que a taxa de juros é pré-fixada e a concorrência entre as instituições bancárias faz com que a conta fique mais barata.


Um empréstimo de mesmo valor entre o crédito pessoal não-consignado e o consignado, pode corresponder a uma economia de até 3 ou 4 vezes. Assim, mesmo solicitando um empréstimo é possível economizar dinheiro.


Por esse motivo, a comparação entre linhas e instituições é fundamental – especialmente quando o que se busca é crédito com taxas mais atrativas e que efetivamente caibam no bolso.


Valor das parcelas


Outra correlação que deve ser feita é a do tempo de contrato e valor das parcelas que serão descontadas diretamente da folha de pagamento.


Para chegar no valor estimado da parcela é preciso dividir o Custo Efetivo Total (CET) da dívida, pelo número de parcelas pretendido.


IMPORTANTE: o prazo mínimo pode variar em função da política de crédito de cada instituição financeira, mas o máximo será de 84 meses.


Em resumo, quanto maior o tempo para pagar o empréstimo consignado, menor o valor da parcela no mês. Quem escolhe pagar em menos tempo, paga parcelas mais altas.


Vale lembrar ainda que esse valor está condicionado ao valor da aposentadoria ou pensão recebidos e da margem consignável atual.


Mais um detalhe importante: no caso do Consignado INSS, os beneficiários têm um limite máximo de número de contratos permitidos.



Número de contratos permitidos


Os Aposentados e Pensionistas podem ter até nove contratos de empréstimos simultâneos e um cartão de crédito consignado.


Como o valor do somatório das parcelas de todos os contratos vigentes não pode ultrapassar o valor da margem consignável, é preciso ainda fazer essa avaliação.


O empréstimo e o cartão são tratados de forma independentes, mas podem ser utilizados em conjunto com os devidos cuidados para não extrapolar os gastos.


Ao utilizar 35% da renda líquida, o benefício será menor e pode impactar em outras despesas básicas.


Ter mais tempo para pagar o empréstimo consignado é positivo ou não?


A resposta é: depende. Isso dependerá dos fatores comentados como:

  • Margem consignável disponível;

  • Taxas de juros;

  • Valor das parcelas mensais;

  • Número de contratos vigentes.

Contratos mais longos comprometem a margem consignável por mais tempo, mas tornam as parcelas mais acessíveis. Em paralelo, prazos menores podem representar parcelas que cabem no orçamento.



Uma boa forma de chegar nessa decisão é ter o critério do crédito consciente. Isto é: solicitar um empréstimo somente quando necessário e avaliar as opções oferecidas.


Uma facilidade que o empréstimo consignado oferece, por exemplo, é a contratação mesmo por quem não é correntista do banco pretendido. Dessa forma, os não-clientes também podem se beneficiar das condições e propostas ofertadas.


Além disso, as prestações também podem ser pagas antecipadamente. Quando a dívida é trazida ao valor presente, são descontados os valores dos juros, barateando o saldo final.


Lembre-se: o empréstimo é um “passaporte” para solucionar problemas e alcançar objetivos. Trata-se de uma escolha financeira que deve ser cada vez mais estratégica.



Torun

29.10.2020