top of page

CPI da Covid é suspensa após discussões sobre distribuição de cloroquina nos estados

Senador governista apresentou vídeos de oposicionista, gravados no início da pandemia, anunciado oferta de cloroquina. Senadores da oposição disseram que os vídeos eram antigos; em meio ao tumulto, sessão foi interrompida.

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), decidiu suspender por dez minutos a sessão desta quinta-feira (20) após senadores iniciarem discussão sobre a distribuição de cloroquina nos estados e municípios.


Logo no início de sua fala, o senador governista Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou vídeos em que governadores de oposição ao governo, como Flavio Dino, do Maranhão, e João Doria, de São Paulo, falavam sobre a distribuição de cloroquina aos hospitais. Os vídeos, porém, são antigos e foram gravados no início da pandemia, quando ainda não havia o conhecimento de que o remédio é ineficaz para o combate à Covid-19.


Também foram apresentados vídeos em que aparece o governador de Alagoas, Renan Filho, falando que o estado iria deixar a cloroquina à disposição do uso médico. O governador de Alagoas é filho do relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL).


O ato do senador governista provocou reação entre os membros da CPI.


O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que a ciência evolui e que, em março de 2020, a compreensão que se tinha sobre a cloroquina é diferente da de agora.


“Uma coisa que evolui com uma rapidez muito grande é a ciência. A ciência é uma coisa que evolui e protocolos são assinados em grandes revistas de especialistas, mensalmente, anualmente, isso aí foi em março de 2020. Em março de 2020, se eu tivesse contraído Covid eu tomaria também cloroquina porque era o que estava sendo prescrito”, disse Aziz.

“O Maranhão é o estado que tem a menor quantidade de mortes por habitantes. De fato o vídeo é de março de 2020”, afirmou a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA).

Torun

20/05/2021 14h19

bottom of page