top of page

Cresce números de consumidores vítimas de fraudes financeiras no Brasil

Com o crescimento das compras online e avanço do uso de meios digitais em meio à pandemia de coronavírus, houve um aumento significativo nas fraudes ocorridas pela internet, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).


De acordo com o estudo, 51% das vítimas são mulheres, 49% são homens e 56% pertencem à classe C, enquanto que 44% são da classe A/B. A idade média dos internautas que sofreram fraude nos últimos 12 meses é de 39 anos, sendo que mais da metade das vítimas (53,6%) tem ao menos o ensino médio completo.

Considerando o ranking das fraudes mais comuns, o não recebimento de produto ou serviço, a clonagem de cartão e os golpes através de ligações ou mensagens foram as mais citadas pelos entrevistados. Veja no quadro abaixo:

Principais locais e momentos em que as fraudes são descobertas


Com relação ao tipo de lugar onde o golpe aconteceu, as lojas online foram as mais citadas pelas vítimas (38,8%). Em seguida, aparecem os sites de compra e venda de produtos novos ou usados (15%), bancos (8,9%) e financeiras (7,1%).


A descoberta da fraude ocorreu principalmente através do recebimento de SMS informando compras no cartão que não foram realizadas pelo titular (12,6%). Outros 9% só descobriram compras indevidas quando receberam a fatura do cartão. Outras formas de descoberta mencionadas foram o contato de uma empresa de cobrança de dívidas (8,5%); o surgimento de valores estranhos no extrato bancário (8,3%); o não recebimento do produto comprado (7,2%) e a impossibilidade de sacar valores investidos (7%).

Torun

24/06/2021 13h48



bottom of page