top of page

Diretora do Banco Central fala que irá colocar a taxa de juros onde precisar

Atualizado: 29 de nov. de 2021


Fernanda Guardado Diretora de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos do Banco Central, falou nesta terça-feira que a autoridade monetária vai colocar os juros onde for preciso e refutou

a possibilidade de dominância fiscal no Brasil, ironizou que a discussão está fazendo aniversário, pois tem todo ano.


"Acho muito difícil dizer que BC está passivo acomodando política fiscal. O BC vai colocar a taxa de juros onde precisar. Não aumentar juros por preocupação com dívida não é condizente com nossas ações e independência."


A Diretora afirmou que a autarquia não trabalha com um cenário de estagflação no Brasil, ainda menos no mundo. Fernanda destacou que no Brasil o Banco Central tem projeção de crescimento econômico em 2022, um sustentáculo de nova safra recorde na agropecuária e o setor de serviços encontrando seu novo equilíbrio.


Na última estimativa do Banco Central para o PIB de 2022, de 2,1%, foi divulgada no Relatório Trimestral de Inflação(RTI) de setembro. Segundo o Boletim Focus no mercado, a projeção já está abaixo de 1%, em 0,93%.


A diretora defendeu que a autoridade monetária leva "muito a sério seu mandato" e que tem agido da maneira que acha correta para conter piora de expectativas de inflação e impactos de segunda ordem dos choques sobre os preços. "O que a política monetária pode fazer é o que estamos fazendo, estamos reagindo."

Fonte: exame.com

Torun

16/11/2021 16:00




bottom of page