top of page

Empréstimo consignado pode ser visto como investimento?

Atualizado: 4 de mai. de 2021


Empréstimo consignado pode ser um investimento? Ou é apenas uma solução financeira para os momentos de crise?

Por incrível que pareça pode ser os dois! Saiba como o dinheiro do empréstimo consignado pode ser aplicado, pra ajudar a conquistar outros objetivos.

A maior parte dos Aposentados, Pensionistas, Funcionários públicos e de empresas privadas, utiliza o empréstimo consignado para resolver emergências e pendências financeiras em períodos de instabilidade.

Afinal, essa é uma das principais utilidades de uso dos empréstimos. Mas não a única!

E se o consumidor puder se planejar e usar esse dinheiro para abrir um e-commerce ou comprar um carro, por exemplo?

O empréstimo consignado possui taxa de juros de até 2,08% ao mês para beneficiários INSS e de 2,05% ao mês para Servidores Públicos. Esses valores se referem à taxa de juros nominal.

A ideia de se investir utilizando o dinheiro de um empréstimo, é de que esse investimento tenha o menor risco possível.

Tomar emprestado um valor e perder esse dinheiro é “ganhar de um lado e perder do outro”. E não é necessário ser nenhum especialista em finanças, para confirmar que isso não faz nenhum sentido.

Até porque, dessa forma, a renda mensal e a margem consignável serão comprometidas desnecessariamente.

A margem consignável pode ser entendida como o limite para gasto mensal com o empréstimo.  Logo, precaução e planejamento são fundamentais nesta e em qualquer outra estratégia financeira.

Então, ainda resta uma pergunta: quando vale a pena investir o dinheiro emprestado?


Quando vale a pena investir o dinheiro emprestado?


A resposta para este dilema seria muito fácil: quando o custo do empréstimo consignado for menor ou quando o rendimento do investimento for maior que as taxas do empréstimo consignado.

Em outras palavras, quando o efetivamente o dinheiro ou bem podem ser valorizados.

Para chegar a este cálculo, é preciso considerar sempre o CET – Custo Efetivo Total das operações e não apenas o valor da taxa de juros.

De forma resumida, o Custo Efetivo Total de um empréstimo leva em consideração todos os gastos do contrato. Tais como: taxas administrativas, tributos, custos operacionais e etc.

Por outro lado, se o valor for utilizado para títulos de investimento, é preciso fazer a simulação de rentabilidade.

No primeiro caso se fala de custos e, no segundo, do percentual de remuneração do dinheiro aplicado.

Ter um objetivo claro para o uso do dinheiro do empréstimo consignado, também ajuda a definir o que é necessário comparar:


  • Taxas de juros e Custo Efetivo Total

  • Prazos para pagamento e de liquidação do título

  • Rendimento do investimento;

É preciso lembrar que assim como o empréstimo consignado é uma dívida de longo prazo, um investimento financeiro também pode demorar a dar retorno.

Mas muitas vezes, o dinheiro do empréstimo consignado também pode ser investido com outras finalidades, como uma viagem, por exemplo.

Então, como avaliar esse tipo de investimento? O professor de administração Gustavo Peixoto explica:

Nestes casos, se trata de um investimento, que não necessariamente trará algum tipo de retorno financeiro, mas que ainda assim é tido como relevante

Mesmo sendo um retorno intangível, é preciso que seja visto como um bom investimento, para valorizar o dinheiro de qualquer forma.

Ao pagar à vista por uma viagem com dinheiro do empréstimo consignado, por exemplo, o consumidor pode economizar dinheiro e escapar dos altos juros do financiamento ou cartão de crédito.

Economizar também é uma forma de valorizar o dinheiro.


Portanto, isso vale tanto para investimentos com retornos, como ações, compra de imóvel para aluguel, como também em investimentos que cortam gastos ou agregam valor profissional.

Conheça agora os 5 tipos de investimentos mais comuns com o empréstimo consignado.

5 tipos de investimentos comuns


Mas quais investimentos é possível, e indicado, fazer com um empréstimo consignado?

Dificilmente haverá um profissional financeiro que dê a fórmula mágica do investimento perfeito. Isso porque ela não existe!

O que existe é o investimento mais indicado para a fase de vida, disponibilidade para riscos, perfil e expectativas do investidor. Exatamente por isso o planejamento financeiro é tão recomendado.

Mas alguns tipos de investimentos não pagam os juros do empréstimo consignado. E a maioria dos investimentos conservadores não valem a pena.

Afinal, para cobrir o CET do empréstimo consignado a taxa de juros mensal teria que ser superior a 2 ou 3% ao mês.

E ainda assim o investidor poderia sair sem rendimento após o período de aplicação. Afinal, grande parte dos empréstimo estão sujeitos a impostos no momento do resgate.

Isso quer dizer então que o empréstimo não pode ser rentável e usado como investimento?

Não, se o cliente investir em algo sólido, que não esteja ligado diretamente com a SELIC ou taxas de juros comuns.

Confira alguns exemplos mais comuns do investimento de Aposentados, Pensionistas, Funcionários públicos e de empresas privadas:

1 – Compra de um imóvel



A compra de bens e imóveis pode ser um investimento muito bom, principalmente em épocas de baixa no mercado imobiliário.

Normalmente épocas de crise derrubam os preços de bens. E quem tem o dinheiro para comprar, neste momento, pode ter um alto rendimento quando o período de recessão passar.

A motivação também pode ser deixar de pagar mensalmente o aluguel ou ter um segundo imóvel como investimento.

Ao tomar um empréstimo consignado para ajudar na compra de um imóvel próprio, o tomador vai pagar mensalmente as parcelas até o final do contrato.

No entanto, poderá usar o dinheiro parcial ou integralmente para comprar o imóvel. Geralmente, pagamentos à vista tendem a render descontos, uma vez o vendedor antecipará o recebimento do recurso.

2 – Compra de outros bens


Assim como no caso da compra de uma casa, o dinheiro do empréstimo consignado também pode ser utilizado para a compra de outros bens.

Comprar um carro, comprar um equipamento, dentre outros. Geralmente em função do valor do bem, o valor é financiado por linhas de crédito específicas. Outra opção é parcelar o valor da compra via cartão de crédito.

No entanto, é preciso lembrar que a taxas de juros dos financiamentos ou cartões de crédito são mais caros, quando comparados ao crédito e cartão de crédito consignado.

Esse valor pode ser superior a 300% ao ano, em média.

3 – Investimento nos estudos




Fazer um investimento nos estudos pode ser uma ótima saída pra quem está em busca de uma promoção no trabalho, por exemplo.

Isso pode englobar cursos de idiomas, de especialização, de graduação ou pós-graduação. Aqui ou no exterior. Como um investimento próprio ou para filhos e netos.

Dependendo do tipo, duração e especialidade do curso, o valor pode ser considerado alto. Uma alternativa neste caso, é contratar um empréstimo consignado para pagar parte ou o curso todo.

O gasto, ou melhor, o investimento para realizar cursos que agreguem aos estudos, com certeza, traz retorno no médio e longo prazo.

4 – Abrir o próprio negócio




Mesmo quem está empregado pode optar por ter um negócio próprio, como fonte alternativa de rendimento. Outras motivações podem ser ter um negócio próprio da família ou empregar os filhos.


Aposentados e Pensionistas INSS, também podem optar por ter uma nova ocupação.

Usar o empréstimo consignado, nesta situação pode ser uma ótima ideia.

Mas vale lembrar que abrir um negócio não gera rendimento instantâneo. A média é de que a empresa precisa de pelo menos um ano para trazer retorno para o investidor.

Vale, portanto, planejar e avaliar se é possível arcar com as mensalidades do empréstimo consignado até começar a receber os rendimentos da nova empresa.

Para um investimento seguro, a recomendação também é avaliar as opções de negócios que são mais viáveis. Franquias, microfranquias ou negócios online, estão entre os investimentos mais procurados.

5 – Fazer uma viagem