Equipe econômica acredita que Bolsa Família dificilmente chegará a R$ 300


A equipe que trabalha na preparação do novo Bolsa Família avalia que o ministro da Economia, Paulo Guedes, precisa conversar com o presidente Jair Bolsonaro e explicar a ele que o benefício do programa dificilmente poderá chegar a R$ 300. As simulações feitas até agora só consideram um aumento do valor médio dos atuais R$ 190 para R$ 250, o que já representa um aumento de gastos de quase R$ 19 bilhões até o final de 2022.


Esse montante cabe no teto do ano que vem. Pelos cálculos do Tesouro, o governo terá uma margem adicional de despesas de R$ 25 bilhões por causa do aumento da inflação que corrige o limite. No entanto, essa sobra tem que servir não apenas para o Bolsa Família, mas também para acomodar outros programas e investimentos públicos.


As simulações para o novo Bolsa consideram ainda um aumento do número de famílias atendidas de 14,8 milhões para 17,5 milhões no final de 2022. Essa projeção prevê o fim da fila de espera para ingressar no programa, hoje em torno de 1,4 milhão de famílias, e mais a inclusão de novos beneficiários que se tornarão elegíveis.


Torun

18/06/2021 09h58