top of page

Governo mantém em 5,3% estimativa de crescimento do PIB em 2021 e vê inflação mais alta

Atualizado: 6 de out. de 2021


O Ministério da Economia manteve em 5,3% a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2021.


A informação foi divulgada nesta quinta-feira (16) pela Secretaria de Política Econômica da pasta, por meio do Boletim Macrofiscal.

Para o ano de 2022, a previsão de crescimento do PIB do governo recuou de 2,51% para 2,50%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

"A manutenção da projeção do ano corrente se deve à continuidade da retomada econômica que vem ocorrendo, como mostram os indicadores coincidentes de atividade. Neste ano, com o avanço da vacinação e queda do distanciamento social, a economia vem registrando um patamar mais alto de expansão", informou o governo.

Alta da inflação

Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, o Ministério da Economia elevou sua projeção de 5,90% para 7,90% em 2021.


A expectativa de inflação do governo se distanciou ainda mais do centro da meta para este ano (3,75%) e também do teto (5,25%). Com isso, o governo admitiu novamente que a meta deve ser descumprida.


A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic).

A previsão da Secretaria de Política Econômica para a inflação está abaixo da estimativa do mercado financeiro, que é de alta de 8% em 2021.


Para 2022, a estimativa do Ministério da Economia para a inflação subiu de 3,5% para 3,75%. No ano que vem, a meta central de inflação é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%.

Fonte: Globo.com


bottom of page