top of page

Impostos Federais — Quais São E Quanto Arrecadam?

Atualizado: 5 de mai. de 2021


Você sabia que o Brasil está na lista dos países como maior número de tributos em todo o mundo?


Ao todo, são 92 vigentes, sendo eles impostos federais, estaduais, taxas e contribuições. Sejam pessoas físicas ou jurídicas, para viver em nosso país, todos são obrigados a contribuir com o governo. 


No artigo de hoje, vamos falar sobre os federais e quanto eles arrecadam por ano. Acompanhe abaixo!


Quais são os impostos federais?


Os impostos federais são responsáveis por mais ou menos 60% das arrecadações de todo o Brasil. São os que possuem maior quantidade (entre estadual e municipal) e, como o próprio nome já diz, são destinos à manutenção e obras do Governo Federal. 


Certamente você conhece alguns por suas siglas. Abaixo, separamos os principais classificados nessa categoria:

  • II (Imposto Sobre Importação): destinado para mercadorias vindas internacionalmente, isto é, de fora do país;

  • IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras): para empréstimos e demais ações financeiras;

  • IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados): para a indústria;

  • IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física): sobre a renda do cidadão;

  • IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica): sobre a renda de CNPJs;

  • COFINS (Contribuição de Financiamento da Seguridade Social): sobre a receita bruta das empresas com o objetivo de financiar a seguridade social;

  • PIS (Programa de Integração Social): destinado a todos os trabalhadores CLT;

  • CSLL (Contribuição Social Sobre Lucro Líquido): sobre o lucro líquido do período-base, antes da provisão para o Imposto de Renda.

  • INSS (Instituto Nacional do Seguro Social): trabalhadores que contribuem com a Previdência Social.

Em resumo, os impostos federais são pagos pela população e arrecadados pela União para que todos contribuam com os custos e com as necessidades públicas.


Quanto o Governo Federal arrecada por ano?

Depende. A arrecadação dos impostos federais varia muito de um ano para o outro. Afinal, a porcentagem sobre cada um é totalmente influenciada pela economia mundial e nacional (inflação).


Em 2019, por exemplo, o Brasil fechou o ano com um acréscimo de 1,69% se comparado ao ano de 2018.  Ao todo, foram R$ 1,537 trilhões em impostos e contribuições, segundo o jornal O Globo. 


O cenário em 2020 já é um pouco diferente. Até julho, o Governo Federal arrecadou o pior resultado para o mês desde 2009. Foram R$ 115,99 bilhões, sendo 17,67% menos em comparação com o mesmo período do ano de 2019.

Torun

29.09.2020






bottom of page