Nota de R$ 200: Defensoria Pública do DF pede que Banco Central mude tamanho da cédula.

Atualizado: 5 de mai. de 2021



Recomendação é para garantir acessibilidade a pessoas com deficiência; nota tem mesmas dimensões da cédula de R$ 20. Estatal diz que escolha foi devido ao 'curto espaço de tempo' para lançamento.


A Defensoria Pública do Distrito Federou notificou o Banco Central e a Casa da Moeda para que façam modificações na nota de R$ 200, lançada no dia 2 de setembro. Segundo o órgão, a cédula "não atende ao critério de diferenciação de tamanhos", já que foi fabricada com a mesma dimensão da nota de R$ 20.


O Banco Central confirmou que as cédulas de R$ 20 e de R$ 200 são da mesma família e, portanto, possuem 14,2 centímetros de comprimento e 6,5 centímetros de altura. A escolha pelas dimensões iguais foi devido ao "curto espaço de tempo" para colocar a nova nota em circulação.


"Para produzir a nova cédula em formato maior, com a adequada combinação de elementos de segurança, seria necessária adaptação do parque fabril, o que não era viável no tempo disponível", disse a estatal.


"Como a nova cédula possui um formato já existente, sua adaptação aos caixas eletrônicos e aos demais equipamentos automáticos que aceitam e dispensam cédulas será mais rápida."


Nota de R$ 200


A nova cédula de R$ 200 começou a circular no início do mês e, em Brasília, o lançamento reuniu uma fila de colecionadores na sede do Banco Central, que aguardavam para pegar as primeiras unidades.


Esta é a sétima cédula da família de notas do Real. A previsão é que, neste ano, sejam produzidas 450 milhões de unidades da nota.


A cédula é cinza, e o lobo-guará foi escolhido em uma pesquisa realizada pelo banco em 2001, para eleger quais espécies da fauna brasileira deveriam ser estampadas nas cédulas do país.


De acordo com o Banco Central, o lançamento da nova nota é uma forma de a instituição agir preventivamente para a possibilidade de aumento da demanda da população por papel moeda.

Torun

24.09.2020