top of page

Seu benefício pode AUMENTAR! STF garante Revisão da Vida Toda

Atualizado: 4 de mar. de 2022


O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a tão esperada Revisão da vida toda para os aposentados do INSS, na sexta-feira, 25/02. Com a aprovação tornou-se constitucional incluir todas as contribuições previdenciárias realizadas pelos trabalhadores antes de julho de 1994 no cálculo da aposentadoria.


A decisão do STF permitirá que os beneficiários terão direito de requerer na Justiça que incluam todas as contribuições previdenciárias e aumentar os valores de muitas aposentadorias e pensões concedidas pelo INSS, mesmo aquelas anteriores a julho de 1994. Porém, a revisão da vida toda também pode baixar o valor de algumas aposentadorias, por conta disso é preciso fazer as coisas antes de solicitar a revisão.

Mas afinal o que é a Revisão da Vida Toda?


A Revisão da vida toda ou revisão da vida inteira, como muitos beneficiários conhecem, tem como objetivo incluir no cálculo da aposentadoria todos os períodos de contribuição ao INSS. Os trabalhadores que iniciaram as contribuições após este período ou aqueles que tiveram o salário reduzido depois de 1994 também podem solicitar a revisão da vida toda.


Quem tem direito à revisão da vida toda?


Tem direito à revisão, qualquer pessoa que receba os seguintes benefícios:

  • Aposentadoria por idade

  • Pensão por morte

  • Aposentadoria por tempo de contribuição

  • Auxílio-doença

  • Aposentadoria por invalidez

  • Aposentadoria especial

A revisão da vida toda beneficiará muitos brasileiros aposentados, porém antes de entrar com a revisão na justiça federal é preciso seguir os passos a seguir:

  • Fazer o cálculo para ter certeza que a revisão é boa para você.

  • Encontrar um advogado de confiança para ajudar na ação.

  • Esteja ciente que apesar de muitos julgamentos favoráveis, esta ação não está ganha.


Como eu faço o cálculo?


Para conferir se o valor da aposentadoria seria superior ou inferior é necessário realizar o cálculo previdenciário de cada cliente individualmente, pois ainda não existe uma regra geral que permita saber se o resultado é favorável ou não. Por conta disso, o auxílio de um advogado de confiança é essencial para realizar esses cálculos.





bottom of page